domingo, 26 de março de 2017

Advogado é preso suspeito de participação na morte de guarda municipal

A vítima foi encontrada morta no último dia 8 deste mês, em um matagal na Cidade Fortal, no bairro Manoel Dias Branco
Um advogado foi preso mediante cumprimento de mandado de prisão, suspeito de envolvimento na morte do guarda municipal José Gonçalves Fonseca, 51 anos, nesta quinta-feira, 23, em Fortaleza. Ele intermediava para a vítima a compra de um imóvel.


Conforme o advogado responsável pela defesa do suspeito, Leandro Vasques, o cliente, que é marido de uma sobrinha de José Gonçalves, orientou o guarda municipal a suspender o pagamento do imóvel, após entraves jurídicos devido a pendências documentais, tendo em vista um processo de inventário pendente. A negociação só seria retomada depois que o impasse fosse resolvido.


Leandro Vasques afirmou que o cliente e a vítima receberam ameaças de uma pessoa herdeira do inventário após a suspensão do pagamento. "Compreendo que ele (o advogado) não teve a oportunidade de prestar os esclarecimentos. Ele é primário, possui residência fixa e atividade laboral lícita, está colaborando com a investigação. Não enxergo razão para a prisão prematura", comentou Leandro Vasques.


Segundo Vasques, o advogado apresentou um requerimento ao delegado do caso, um dia antes de ser preso, com os documentos relacionados à venda do imóvel, nos quais as assinaturas dos herdeiros não eram confirmadas por cartório que teria reconhecido firma. "Havia uma confusão documental, e o advogado alertou a autoridade policial. Ele se colocou a disposição das autoridades. Por isso, não enxergo nenhuma manutenção da prisão", disse o responsável pela defesa do suspeito.


O advogado suspeito no caso deve ser ouvido nesta segunda-feira, 27. A defesa vai pedir a revogação na prisão no dia seguinte.


O POVO Online solicitou informações à Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) sobre a prisão do advogado, mas não obteve retorno.

Morte do guarda
José Gonçalves desapareceu no último dia 6, quando saiu de casa com R$ 120 mil para comprar um imóvel, de acordo com a família. O corpo foi encontrado dois dias depois em um matagal na Cidade Fortal, no bairro Manoel Dias Branco.


O homem já trabalhava na corporação há quase nove anos, tendo entrado na Guarda em 2008. Em nota, a Secretaria Municipal da Segurança Cidadã (Sesec) lamentou a morte e prestou condolências à família do agente.

Local: Brasil
←  Anterior Proxima → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário