A duas últimas vitimas da tragédia ocorrida no Rio de Janeiro, na última semana, por conta do desabamento de dois prédios na favela da Muzema, no Itanhangá, foi o corpo da funcionária da lavanderia, dona Zenilda, de 40 anos, que residia no há mais de dois anos e seu filho Ruan de apenas 10 anos de idade.

O episódio gerou ainda mais comoção, por conta do estado em que os corpos foram encontrados. Tratam-se da diarista Zenilda Bispo de Amorim, que tinha aproximadamente 40 anos de idade, e seu filho Ruan Amorim Rodrigues, de 10.



Os dois foram encontrados pelas equipes de resgate na noite deste sábado (14). Estavam deitados na mesma cama, abraçados, a irmã de Zenilda disse que ela trabalhava para pagar as prestações do apartamento. Ela diz ainda que a irmã comemorou a realização de um sonho quando fechou a compra em suaves prestações, mas não sabia que estava assinando sua sentença de morte .

A tragédia abalou a população carioca.
A amiga da vitima de 40 anos, disse que "o que atraiu a compra foi a oportunidade de dar uma entrada, algo como dez mil reais, e depois ter a facilidade de pagar a casa própria com o salário que a gente recebe. Isso era ótimo"- lamentou Rosiane. Zenilda deixa um filho de 15 anos, que morava na Bahia com o ex-marido.


Postar um comentário

 
Top