A Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta-feira (5) a operação Dínamo, em conjunto com a Força Nacional de Segurança, para desarticular o grupo criminoso responsável pelos ataques com explosivos a torres de transmissão de energia da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) em Fortaleza e Maracanaú. Os atentados ocorreram na noite da segunda-feira (1º).
Na Capital, o ataque ocorreu na estação da Rua Júlio Brígido, no Pici. De acordo com a polícia, dois artefatos explodiram no local e um terceiro não detonou, sendo recolhido pelo Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate).
Outra torre da Chesf foi alvo de uma tentativa de explosão no Conjunto Jereissati III, em Maracanaú. Um artefato explodiu próximo ao equipamento, que fica às margens da CE-060, mas não a atingiu. O Gate foi acionado e retirou o explosivo.
Duas ações da PF na RMF
Além da Operação Dínamo, agente da Cerca de 120 policiais federais e 18 auditores da Controladoria-Geral da União (CGU) cumprem, nesta manhã, 8 mandados de prisão temporária e 28 mandados de busca e apreensão na Operação Afiusas, que tem o objetivo de combater e desarticular uma organização criminosa especializada em fraudes a licitações públicas na Prefeitura de Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).
Forças de segurança cumprem 11 mandados
Ao todo, são cumpridos 11 mandados, se 7 de busca e apreensão e 4 de prisão preventiva. A Polícia Federal está com 25 agentes nas ruas. Há ainda 15 policiais militares e 15 policiais civis. 
A operação conta com o apoio da Polícia MilitarPolícia Civil e da Coordenadoria de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública, segundo a PF.
Os investigados devem responder pelo crime de dano qualificado pelo uso de explosivo, de acordo com o nível de participação de cada suspeito.
                                              
Fonte. DN


Postar um comentário

 
Top