Uma mulher sofreu uma tentativa de feminicídio, na quinta-feira (24), em Crato, a 508 km de Fortaleza. A jovem de 29 anos grávida de quase nove meses foi agredida com pauladas, socos e pontapés, além de receber golpes de faca e de pedaços de garrafa.


De acordo com a delegada da Defesa da Mulher do Crato, Débora Gurgel, o agressor Francisco Ederson Pereira de Sousa, 22 anos, contou com a ajuda da mãe, Ana Adélia Pereira de Sousa, 44 anos, no momento da agressão.
“A vítima relata de forma veemente que a mãe do companheiro a agrediu também praticando chutes contra ela, agressões físicas, ofensas morais e que também teria a segurado para que o autor a furasse com a faca e com gargalo”, disse a delegada.

A delegada afirmou ainda que a vítima vivia há cerca de sete meses com o agressor e, durante todo o período do relacionamento, sofreu agressões tanto morais como físicas e não o denunciou à polícia por medo. A jovem está grávida de outro homem e o acusado tinha afirmado que assumiria a criança. Todavia, nos últimos meses, estava muito violento, conforme a polícia.

“Ela disse que convive há sete meses com esse companheiro. Durante todo esse tempo, ela recebeu ameaças de morte, ofensas morais, mas não tinha coragem de procurar a delegacia. Foi uma sessão de tortura e espancamento. A vítima disse que foi jogada ao chão, sofreu vários murros na cabeça, nas pernas, vários chutes, agressões com pau, facas de mesa e gargalos de garrafas”, afirmou a delegada. 
A vítima das agressões precisou de atendimento médico. Ela passou por um procedimento cirúrgico no Hospital São Camilo, no Crato, e recebeu alta médica.  
Prisões
Os dois foram presos e foram indiciados por tentativa de feminicídio. Francisco Ederson está preso na Cadeia Municipal do Crato, enquanto Ana Adélia está recolhida na Cadeia Pública de Juazeiro do Norte. 

Postar um comentário

 
Top